segunda-feira, 12 de setembro de 2011

DOR NO PÚBIS


É cada vez mais freqüente, aqui na clínica (IARF), a entrada de pessoas reclamando de dor no púbis. Púbis é um osso da região do quadril, que fica perto da virilha, mas centralizado, logo abaixo do abdômen.

Como cada lado do quadril tem um púbis, quando eles se encontram, formam uma articulação, chamada de sínfise púbica.
E é na região próxima à Sínfise púbica que 3 grupos musculares se inserem: Adutores da perna Direita, Adutores da perna Esquerda, e os Abdominais.

O que causa as dores nessa região? Essa é uma pergunta um pouco complexa, que pode ter várias respostas, mas tentarei ser breve, simples e didático. Normalmente, as dores no púbis, chamada nos consultórios por termos como Pubalgia (dor no púbis) ou Pubeíte (inflamação dessa região), tem como principal causa, problemas que, primeiro, acometem esses músculos que, como já disse acima, se inserem ou se originam dessa região. Na prática, o que mais vemos são dores nos adutores causando pubeíte, ou até mesmo um desequilíbrio entre os 3 grupos musculares, que com o passar do tempo, causam um desgaste da sínfise púbica, gerando dor.

O futebol é um dos esportes que mais causam Pubalgia, principalmente por ser um esporte unilateral (quase sempre chutamos com a mesma perna). Ele tende a gerar desequilíbrio de forças entre os adutores e o abdômen, levando ao desgaste precoce da sínfise púbica e, assim, à dor.

A dor começa leve e apenas sentida depois dos jogos. Daí o motivo de tantos atletas demorarem muito pra procurar tratamento. Com o tempo, sem tratamento e mantendo a atividade causadora, o púbis começa a doer com mais intensidade e freqüência, incomodando inclusive em atividades do dia-a-dia, como andar, subir escadas, e em relações sexuais.

Porém, o que era um tratamento simples no início dos sintomas, se torna um tratamento longo e complicado, visto que, após alguns meses de dor sem tratamento, o nível de desgaste da articulação ou da inflamação do tendão está tão avançado, que é necessário um grande esforço para consertar o estrago.

Na maioria das vezes, um tratamento fisioterápico de qualidade resolve o problema. Mas existem casos que só mesmo com cirurgia podemos aliviar dores e voltar a ter uma vida sem restrições, e a praticar nosso esporte preferido.

Então, o recado é o seguinte: Doeu, procure o mais rápido possível um profissional competente, e fique logo livre do problema.

Nenhum comentário:

Postar um comentário